Blog ofCatarina Trindade

Dietitian (Nutricionista) · 3357N

A educação alimentar é estratégia ideal para um estilo de vida saudável.

Como iniciar a diversificação alimentar

Sunday, February 13, 2022

Se decidir quando iniciar a diversificação alimentar é difícil, decidir como iniciar é também uma tarefa complexa para as famílias. Mais uma vez temos presente a pressão de amigos e familiares, que com a melhor das intenções dificultam ainda mais esta tarefa.

Mas se a criança está pronta para iniciar a alimentação complementar (podem ver mais neste post), vamos a isso! Mas mais uma vez relembro que o mais importante é confiar no profissional de saúde que vos acompanha.

Então, por onde começar?

Podemos iniciar a alimentação complementar por um destes 3 grupos de alimentos: legumes, fruta ou cereais. Por norma, o mais recomendado é iniciar por legumes, introduzindo uma sopa, puré ou legumes cozidos. Quando a opção são os cereais podemos oferecer sob a forma de papa. E a fruta, pode ser oferecida sob a forma de puré ou em pedaços, caso seja uma fruta mole.

A opção de qual o primeiro grupo de alimentos a introduzir deve ser combinada entre o profissional de saúde e a família.

Se optarem pelos legumes, muitas vezes sugiro que ofereçam um puré de um legume à escolha, por exemplo, a cenoura. É escusado estar a preparar uma sopa super completa, pois sabemos que a primeira refeição é mais para exploração do alimento, do seu sabor, cor e textura, que é totalmente diferente do que o bebé está habituado. Depois, podemos começar a preparar sopas (ou oferecer os legumes apenas cozidos), mas sem misturar muitos de cada vez, para que a criança possa começar a conhecer os diferentes sabores de cada um deles. Por isso, diria que as sopas dos bebés não precisam de ter mais do que 3 legumes de cada vez.

Se a introdução da alimentação complementar se iniciar pela fruta, as recomendações que faço são idênticas à dos legumes. Cozam a fruta que for mais dura, como a maçã ou pera, numa fase inicial, para que seja mais fácil para o bebé, comer sem se engasgar. Podem oferecer sob a forma de puré, desde que não o façam até a criança ter 5 anos!!

Caso a opção seja iniciar pelos cereais, uma papa de compra ou caseira, simples, com poucos ingredientes e sem qualquer tipo de adoçante, é a melhor opção. Mais uma vez, optem por papas em que não há uma grande mistura de sabores diferentes para que possam dar a conhecer os diferentes sabores às vossas crianças.

A partir daqui há um mundo de alimentos para introduzir, não tenham medo, dos 6 aos 12 meses, temos uma janela de oportunidade perfeita para introduzir quase todos os alimentos, e devemos fazê-lo alterando texturas e sabores, e para isso optem também por receitas e métodos de confeção diferentes.

A leitura deste post não substitui um acompanhamento individualizado, feito por um profissional de saúde.


Referências:

Fewtrell M, Bronsky J, Campoy C, Domellöf M, Embleton N, Fidler Mis N, et al. Complementary Feeding: A Position Paper by the European Society for Paediatric Gastroenterology, Hepatology, and Nutrition (ESPGHAN) Committee on Nutrition. J Pediatr Gastroenterol Nutr. 2017; 64(1):119-32.

Associação Portuguesa de Nutrição. Alimentação nos primeiros 1000 dias de vida: um presente para o futuro. E-book n.o 53. Porto: Associação Portuguesa de Nutrição; 2019.

Achieve your goals with a follow-up that suits you!
Catarina Trindade
Catarina Trindade
Dietitian (Nutricionista) · 3357N
A educação alimentar é estratégia ideal para um estilo de vida saudável.